Frase do Dia!!

Toda iniciativa de boa fé, de mãos limpas, de peito aberto, deveria ser muito prestigiada. A vida é tão melhor coletivamente!

___________________Cláudia Dornelles


quarta-feira, 31 de agosto de 2011

Escrever sempre dá tanto medo


   
Escrever sempre dá tanto medo; assim como dá medo amar, entregar-se completa e incondicionalmente a alguém. É o ato de escrever para mim como amar alguém, precede esse medo, que vai sumindo ao passo em que se vai se aprofundando, daí o medo vai se aquietando, como se acomoda o amor.
        Por ultimo há a dor profunda de ver tudo terminado. Saber que está tudo pronto e que é preciso que se recomece. Saber que tudo é tão frágil que acaba. Saber que nem tudo saiu como se planejou, arquitetou.
        É... as palavras impressas podem não acabar, mas são passageiras, um breve vislumbre e já foram lidas e seu eco no ar ou no pensamento já passaram. E mesmo que fique alguma coisa do que elas diziam, não é mais a mesma coisa, é só um borrão do original, as palavras perdem-se, dissolvem-se, alguns tiram delas apenas os melhores momentos.

Divania Rodrigues

terça-feira, 30 de agosto de 2011



"Sou construída por emoções secretas.
 Podem até comentar sobre mim, mas me capturar...
Só com a minha permissão."



Martha Medeiros


"O que te falta? Falta tu mesma se convencer do que te falo com certeza.
Tu merece alguém que abra os olhos diariamente e pense:
"cara, eu tô com ela, eu sou o namorado dela!". Que goste da tua boca, do teu ombro, do teu cabelo bagunçado, do teu calcanhar, da tua cintura, das tuas mãos, do cheiro da tua pele, das sardas do teu rosto.
 E isso vai acontecer naturalmente ao você se dar conta de que tu é bonita, no âmago e na lata.
Eu acho, teu ginecologista também, o colega de trabalho assina embaixo. Um dia serás o amor da vida de alguém, do jeitinho que tu é. Falta tu.
 Acorde hoje e repita: "eu sou bonita"."


Gabito Nunes

segunda-feira, 29 de agosto de 2011


 
'Talvez eu seja um pouco de tudo que já li.
Um pouco de tudo que meu olhar
já aprendeu do mundo.
Um pouco das belas músicas,
um pouco daqueles que me são queridos,
Um pouco de múltiplos sentimentos
e algumas fraquezas.
Talvez eu seja um pouco
do que você deixou em mim,
mas em essência,
o muito da minha essência,
é algo delicado e misterioso…'


Rubem Alves

domingo, 28 de agosto de 2011



"- Seja como for - disse o Espantalho-, eu vou pedir um cerébro em vez de um coração; porque um bobo não ia saber o que fazer com um coração se tivesse um.
- Pois eu vou pedir um coração - replicou o Lenhador de Lata. - Porque um cerébro não torna uma pessoa feliz; e a felicidade é a melhor coisa do mundo.
Dorothy não disse nada, porque ela estava intrigada em descobrir qual de seus novos amigos estava certo;"


Lyman Frank Baum
In: O Mágico de Oz

sábado, 27 de agosto de 2011



Dentro de um abraço voz nenhuma se faz necessária, está tudo dito. 
Cazuza

sexta-feira, 26 de agosto de 2011

O Amor


 
Se ouvires alguém dizer:
“Meu coração é de gelo”,
não temas!
Com um pouco de calor todo
gelo derrete.
Se disserem: “meu coração é de pedra”,
Não desistas!
Toda areia que existe
é prova de que elas
se desgastam com a
insistência do vento.
Se responderem
que isso leva muito
tempo, diga-lhe:
mas ao calor do centro
da terra não há pedra que
resista!
O amor é um calor assim
esquenta os corações,
abranda almas magoadas,
recobre o ser humano de quentura
como cobertor em dia frio.
É tão bom! Amemos, pois,
como seres humanos, uns aos outros!

Divania Rodrigues




"Não lemos e escrevemos poesia porque é bonitinho.
Lemos e escrevemos poesia porque somos membros da raça humana e a raça humana está repleta de paixão.
E medicina, advocacia, administração e engenharia, são objetivos nobres e necessários para manter-se vivo.
Mas a poesia, beleza, romance, amor... é para isso que vivemos."


Sociedade Dos Poetas Mortos

quinta-feira, 25 de agosto de 2011

nove meses!!


Ao fim da gestação  do Blog (28-08-2011) quero presentear aos amigos que me brindaram com sua presença durante esse período.
Desta forma também procuro renovar os laços de nossa cumplicidade.
Ofereço a todos que por aqui pousarem  este lindo mimo!

Beijos, com carinho

Keila M. - Borboleteando

quarta-feira, 24 de agosto de 2011



 
"Meu abalo é sísmico 
E o despautério é cósmico
Tudo em mim deságua Vento,
chuva e emoção
Em meus olhos d’água
Eu afogo a razão"

Elcio Tuiribepi



"Eu sofro de mimfobia. Tenho medo de mim mesmo.
 Mas me enfrento todo dia."


Millor Fernandes

terça-feira, 23 de agosto de 2011



Pelo fato da vida ser, relativamente, tão curta e não comportar “reprises," para emendarmos nossos erros, somos forçados a agir, na maior parte das vezes, por impulsos, em especial nos atos que tendem a determinar nosso futuro.
Somos como atores convocados a representar uma tragédia (ou comédia), sem ter feito um único ensaio, apenas com uma ligeira e apressada leitura do script.
Nunca saberemos, de fato, se a intuição que nos determinou seguir certo sentimento foi correta ou não. Não há tempo para essa verificação.
Por isso, precisamos cuidar das nossas emoções com carinho muito especial.

Milan Kundera

Românticos são poucos



Românticos são loucos desvairados,
Que querem ser o outro
Que pensam que o outro é o paraíso...
Românticos são lindos
Românticos são limpos e pirados
Que choram com baladas
Que amam sem vergonha e sem juízo
São tipos populares que vivem pelos bares
E mesmo certo vão pedir perdão
E passam a noite em claro
Conhecem o gosto raro
De amar sem medo de outra desilusão
Romântico é uma espécie em extinção..."
 

Românticos - Rita Ribeiro

segunda-feira, 22 de agosto de 2011

Que eu tenha sempre comigo:




" Colo de mãe. Abraço apertado.
Riso de graça. Brilho no olho.
Amor quentinho. Tristeza que passa.
 Força nos ombros. Criança por perto.
Astral bonito. Prece nos lábios.
Saudade mansinha. Fé no futuro.
Delicadeza nos gestos.
Conversa que cura. Cotidiano enfeitado.
Firmeza nos passos. Sonhos que salvam.


Livrai-me de tudo que me trava o riso."






Cris Carvalho

domingo, 21 de agosto de 2011

Semana das irmãs e amigas!

Quero ser SUA Amiga até ficar assim
rsrsrsrsrs ......... 
        
  


A vida é muito curta para acordar com arrependimentos.
Ame as pessoas que te tratam bem.
Ame, também, àqueles que não, só porque você poooode.
Acredite que tudo acontece por uma razão.
Se tiver uma segunda chance, agarre com as duas mãos.
Se isso mudar sua vida, deixe acontecer.
Beije devagar.
Perdoe rápido.
Deus nunca disse que a vida seria fácil.

Ele simplesmente prometeu que valeria a pena.

 





Eu sou tão forte quanto
o chocolate que como,
o shampoo que uso e as amigas que tenho.
Para as maravilhosas mulheres que tocaram minha vida...

Acredite em você!!
PARA MINHAS AMIGAS!
QUE DEUS AS ABENÇOE E ILUMINE SEMPRE!!!

Obrigada por fazerem parte da minha vida!!!
 



Recebi por e-mail,
da minha querida amiga Lucimar ( mulher melanina).
Que Deus abençõe as minhas Irmãs e Amigas...
Que vocês possam ter uma semana linda, bem colorida , iluminada e cheia de vida.
Beijos no ♥




Pensa em ti mesma, acharás
Melhor poesia,
Viveza, graça, alegria,
Doçura e paz."


Machado de Assis                       

sábado, 20 de agosto de 2011



"Eu estava dormindo e me acordaram.
E me encontrei, assim, num mundo estranho e louco...
E quando eu começava a compreendê-lo um pouco,
já eram horas de dormir de novo."

Mário Quintana


Farei o possível para não amar demais as pessoas, sobretudo, por causa das pessoas.
Às vezes o amor que se dá pesa, quase como uma responsabilidade na pessoa que o recebe.

Eu tenho essa tendência geral para exagerar, e resolvi tentar não exigir dos outros senão o mínimo.
É uma forma de paz…
Também é bom porque em geral se pode ajudar muito mais as pessoas quando não se está cega de amor.”


Clarice Lispector

Se você não encontrar razões para ser livre...
INVENTE-AS!
 
(Clarice Lispector)

sexta-feira, 19 de agosto de 2011



"Vivo para florescer outros jardins
e sem perceber o meu se abarrota de rosas e manacás.

Vivo cada dia, como se fosse cada dia.
 Nem o último nem o primeiro - o único".
Pablo Neruda

quinta-feira, 18 de agosto de 2011

Um quarto de século!




25 anos. É um quarto de século: 25 anos. Muito?... Pouco? Bom, se pensarmos que a vida humana é mais ativa, basicamente, até os 60 anos, podemos olhar no relógio e fazer uma analogia. Mas olhe bem, você também vai notar quanto tempo já passou no relógio ao completar os 25 minutos, e o quanto tempo falta para completar a hora. 25 minutos são quase meia hora, que é metade para passar a hora. Metade para 60. Bom, sem crises. Isso não é a descrição de uma crise de idade, apenas é uma constatação. Mais é uma análise.
O que se deve ter aos 25 que não se tinha aos 15? Com pensamento pessimista a resposta vai ser mais e menos. Mais rugas, mais cabelos brancos; menos tempo para projetar o futuro, menos tempo para se viver.
Pensando sobre o lado positivo desses dez anos a mais/dez anos a menos – sempre o dilema do copo enchido até o meio – diria que há um saldo otimista. Não estou mais bonita, magra, emocionalmente forte e decidida; casada com filhos, nem, ao contrário, independente, motivada, e com as rédeas da vida em minhas mãos. Ambos, sonhos possíveis. Contraditórios, mas possíveis: faces de uma mesma moeda-EU aos 15 anos. Ambos com chance de realização ao longo desses anos, caminhos que se abriam a minha frente em uma encruzilhada. Um à esquerda e outro à direita: coração/razão.
Tentei desesperadamente acertar na escolha do caminho. Fiquei parada um tempo esperando, medindo, pesando conseqüências de cada escolha – perfeccionista que era. Por fim, decidi uma coisa – ir à direita – mas, ao mesmo tempo, não abandonei o outro caminho de vez. Levando uma vida, pensando a outra que eu poderia ter. Nunca estava completamente feliz, o poço estava meio vazio, eu me sentia meio vazia.
No meio da estrada houve oportunidade de voltar à encruzilhada e pegar o outro caminho. Não hesitei e o fiz. Alias, não tenho muita certeza sobre isso. Acho que não tomei essa decisão, exatamente. Acho que a vida empurrou essa oportunidade para mim.
Então comecei a trilhar esse novo caminho – à esquerda. Mas não estava totalmente contente, pois conhecia as flores que o outro caminho colocava ao meu redor e sentia falta do perfume. Queria ter os prazeres que os dois caminhos me ofereciam. Forcei os dois a se tornarem paralelos e comecei a andar com um pé em cada estrada, me dividindo ao meio. O copo transbordou, mesmo estando à metade estava muito cheio. Dividida, não me dediquei o suficiente nem a um nem a outro. Estava exausta e cheia de dor.
De tudo, posso dizer hoje, que as experiências valeram. Conheço até a metade os dois caminhos – flores e espinhos. E aos 25, voltei novamente frente à encruzilhada. Mas agora, tenho certeza de qual caminho trilhar – vou à direita. E essa decisão foi tomada conscientemente, sem forças de fora atuando como pressão. Sem ilusões sonhadas, sem planos pré-planejados. O que me interessa agora é viver, seguir nesse caminho que escolhi.
Talvez eu me modifique ao longo da estrada. Afinal eu sou muitas em uma única. Mas, tenho certeza convicta de que em algum lugar desse caminho surpresas me esperam. Surpresas boas e ruins, quem sabe. Sei que a felicidade me aguarda. Não quero mais persegui-la, mudando meu caminho, quero mais é viver de uma maneira que a minha vida tenha significado, para mim e para os outros ao meu redor, e o que advier disso será lucro. Posso dizer que estou em paz comigo mesma e com o caminho que tomei. Otimismo é a palavra de ordem.
Daqui a 10 anos não sei o que será de mim. Não tenho a mínima idéia. Não tenho mais planos para o futuro. Sei que terei mais experiências para lembrar. Muitas mais – trabalharei para construir isso. Espero apenas que essas experiências sejam muito positivas e engrandecedoras e sejam muito significativas. Bom, essa é a única música que soa bem aos meus ouvidos, aos 25: esperança...
Sei que uns dias os caminhos se cruzarão de novo. Talvez lá na frente meus caminhos voltem a se tornar um só. Basta tranqüilidade para esperar. Foi isso que eu não entendi aos 15 anos e que entendo agora. Aos 15 tinha como meta correr atrás da felicidade e trazê-la para mim, como naquela história sobre a borboleta, tentando agarrá-la.

Aos 25 consegui entender que não preciso perseguir a felicidade, preciso seguir a vida normalmente preparando o terreno para a felicidade. Quando a borboleta estiver familiarizada com a minha presença ela pousará no meu ombro, sem que eu tenha a forçado. O seu pousar será apenas conseqüência de meus passos, de meu entrosamento positivo para com as situações que a vida puser no meu caminho. Ela não pousará no meu ombro pelo meu querer, mas pelo meu merecimento – não se controla a felicidade, age-se modo otimista e espera-se que ela venha até nós.

Divania Rodrigues


quarta-feira, 17 de agosto de 2011



Eu já quis que o destino me surpreendesse. 
Hoje eu só espero que ele não me decepcione.


Caio Fernando Abreu


"Se você for poeta, verá nitidamente uma nuvem passeando nesta folha de papel.
Sem a nuvem, não há chuva.
Sem a chuva, as árvores não crescem.
Sem as árvores, não se pode produzir papel.
A nuvem é essencial para a existência do papel.
Se a nuvem não está aqui, a folha de papel também não está.
Portanto, podemos dizer que a nuvem e o papel “intersão”. “
Interser” é uma palavra que ainda não se encontra no dicionário, mas se combinarmos o radical “inter” com o verbo “ser”, teremos um novo verbo: interser”.
“Se examinarmos esta folha com maior profundidade, poderemos ver nela o sol.
Sem o sol, não há floresta.
Na verdade, sem o sol não há vida.
Sabemos, assim, que o sol também está na folha de papel.
O sol e o papel intersão.
E se prosseguirmos em nosso exame, veremos o lenhador que cortou a árvore e a levou à fábrica para ser transformada em papel.
E vemos o trigo.
Sabemos que o lenhador não pode existir sem seu pão de todo o dia.
Portanto, o trigo que se transforma em pão também está nesta folha de papel.
O pai e a mãe do lenhador também estão aqui.
Quando olhamos dessa forma, veremos que sem todas essas coisas, esta folha de papel não teria condições de existir”.
“Por mais fina que esta folha seja, tudo o que há no universo está nela”.



Tenha um dia abençoado e que a paz esteja com todos vocês.

 Livro: “Paz a cada passo”
Mestre Nhat Hanh Thich

terça-feira, 16 de agosto de 2011

Amo Borboletas!



Lindas, coloridas, leves, fortes e cheias de vida...

Exalam simplicidade, delicadeza...
Passam por dolorosas transformações...
E ainda assim com graça e leveza bailam pelo ar...
Levando, poesia, paz, cores, amores...
Keila M.


Tenham todos um lindo dia!

Desistir?



Desistir?

Eu já pensei seriamente nisso, 
mas nunca me levei realmente a sério.
É que tem mais chão nos meus olhos
do que cansaço nas minhas pernas,
mais esperança nos meus passos
do que tristeza nos meus ombros,
mais estrada no meu coração do que medo na minha cabeça.



Cora Coralina

segunda-feira, 15 de agosto de 2011




Vontade de me apaixonar, de ser vencida por um olhar,
de ser roubada por uma mão que me pega na cintura,
de ver alguém me descobrindo com ar de surpresa,
de perder o raciocínio para o pensamento em alguém,
de não enxergar distância entre os dois lados da cidade,
de me arrumar por algum motivo a mais que o trabalho,
de ter disposição para encontrar músicas novas,
de ler uma poesia e saber que seria possível vivê-la,
de encontrar alguma graça em passar pelo domingo,
vontade de ser encontrada em uma multidão de vazios,
vontade de que fosse agora e para sempre.
Preciso te achar desesperadamente
e é tão pouco e quase próximo...
O que nos separa são os encontros."




(Cáh Morandi)




'' O destino une e separa pessoas, mas mesmo ele sendo tão forte, é incapaz de fazer com que esqueçamos pessoas que por algum momento nos fizeram felizes.''

 Filme: Cidade de Anjos

sábado, 13 de agosto de 2011

Eternas Saudades!

 Pai, para sempre meu Herói!




O mundo é mágico.
As pessoas não morrem, ficam encantadas.


João Guimarães Rosa




 


”Deus nos dá pessoas e coisas, para aprendermos a alegria... Depois, retoma coisas e pessoas para ver se já somos capazes da alegria sozinha...
 Essa – a alegria que Ele quer... Merece de gente aproveitar, o que vem e que se pode, o bom da vida é só de chuvisco...”


Noites do sertão –
João Guimarães Rosa


 


Tão estranho carregar uma vida inteira no corpo, e ninguém suspeitar dos traumas, das quedas, dos medos, dos choros.


Caio Fernando Abreu

sexta-feira, 12 de agosto de 2011

Selinho Sonho de Valsa!

Que selinho mais gostoso! Presente da minha querida amiga Angela. 

http://docessonhosdepapel.blogspot.com
      

Tem cheirinho de chocolate no ar,

 Hummm!






Regrinhas:Postar no blog  e dizer de quem ganhou.
Registrar opinião sobre o selo :
" cheio de charme com sabor de quero mais... "
Oferecer para dez amigos(as) e avisá-los(as):

Eu ofereço este selinho, com muito afeto, para as amigas (os):


Muito dificil escolher somente dez pessoas, por isso ofereço com todo meu carinho a todos que por aqui passarem...
Beijos a todos e tenham um lindo dia
 

quinta-feira, 11 de agosto de 2011



Eu vi que não tinha jeito. Lá embaixo todo mundo carrega o coração dentro do peito.
Bem escondido, no escuro, com paletó, colete, camisa, pele, ossos, carne cobrindo.
O coração trabalha sem ninguém ver. Se ele ficar fora do peito é logo ferido e morto, não tem defesa...

Rubem Braga,
in Como se fora um coração postiço

quarta-feira, 10 de agosto de 2011



Depois de um tempo, você ainda vai lembrar dessa 
ferida que rasgou fundo o teu peito. 
Mas vai saber também, que foi apenas uma página do capítulo passado. 
E que o capítulo que você está agora. 
Ah, esse sim é o mais interessante. 

Caio Fernando Abreu